O projeto IARA é uma iniciativa que surgiu na Enactus CEFET/RJ para combater a falta de saneamento básico em comunidades de todo o Brasil. Ele foi idealizado no semestre de 2016.2 e, logo após, efetivado como projeto Enactus.

IARA tem como objetivo levar tecnologias sustentáveis, ligadas a saneamento básico, fornecimento de água limpa e gerenciamento adequado dos resíduos sólidos, às comunidades desprovidas deste bem essencial, visando a melhoria da qualidade de vida, a diminuição de impactos ambientais e a melhoria da saúde pública no local, além da geração de renda com o comércio das tecnologias.

O primeiro local de atuação do Projeto IARA é no distrito de Suruí localizado no município de Magé, Rio de Janeiro. A região vive majoritariamente do comércio local e da atividade pesqueira no Rio Suruí que, nos últimos anos, sofreu uma grande queda em sua vida marinha após um grave acidente de derramamento de petróleo.

Grande parte dos moradores do distrito não possuem acesso à rede pública de saneamento e também não estão sendo englobados pela rede de distribuição de água potável. Para ter acesso a esse recurso tão necessário à vida, muitos deles são obrigados a caminhar por grandes distâncias até uma única fonte d’água em uma represa. Apesar dessa opção ser a mais utilizada na região, há indícios de que essa água oriunda da represa já não apresenta características próprias para o consumo. Outro meio que alguns moradores encontraram para o seu suprimento hídrico é a utilização de poços semi-artesianos que, com o uso de bombas, conseguem alcançar fontes subterrâneas desse recurso. Assim como a outra alternativa, os aspectos dessa água subterrânea também não a tornam mais perfeitamente apta para o ser humano.

O projeto divide-se atualmente em três frentes na região: Potabilidade, Sustentabilidade Ecológica e Conscientização. A frente de Potabilidade é responsável por elaborar alternativas que buscam melhorar a qualidade da água dos moradores da região próxima ao Rio Suruí. A frente de Potabilidade, inicialmente, realizará testes para averiguação do atual estado da água disponibilizada aos beneficiados para que, posteriormente, através das tecnologias do Clorador e Filtro Caseiro, possa melhorar significativamente a qualidade desse recurso e melhorar a vida dos beneficiados.

Enquanto isso, a frente de Sustentabilidade Ecológica está encarregada de promover ações que busquem a reutilização de materiais e a redução da quantidade de resíduos sólidos lançados no meio ambiente. O projeto IARA está organizando, juntamente a Escola Municipal São Nicolau e a Secretaria Municipal de Serviços Públicos de Magé, uma horta sustentável com reuso de materiais recicláveis e aplicação de tecnologias que irão impulsionar os resultados de produção e, assim, melhorar a alimentação de 720 estudantes da rede pública de ensino. Está sendo desenvolvido para a horta um sistema de captação de água da chuva ecológico, utilizando-se de garrafas PET, para um processo de irrigação mais eficiente e sustentável. Além disso, por meio de Composteiras, parte do lixo orgânico produzido pelo colégio será transformado em adubo natural para fertilização da horta. A proposta desenvolvida pelo Projeto IARA é oferecer uma experiência humana e cidadã aos alunos da Escola Municipal São Nicolau no qual serão ministradas atividades extraclasse envolvendo o cotidiano de uma horta – tais como o plantio, adubação, irrigação e preparo das hortaliças, por exemplo – e de tornar essa unidade escolar uma referência na região tanto com a melhoria na alimentação quanto na formação de jovens mais engajados à causa ambiental.

Por último, a frente de Conscientização em Suruí estará desenvolvendo ações que visam conscientizar a população local dos riscos que a falta de saneamento básico e da água de má qualidade possuem para disseminar uma reeducação ambiental e sanitária aos moradores da região.